Benfica disponibiliza serviços para apoio e acompanhamento de refugiados

Benfica disponibiliza serviços para apoio e acompanhamento de refugiados

 

– Centro ECRI presta informação útil aos imigrantes, no âmbito da lei de estrangeiros, e encaminha os processos de regularização para o SEF, que funciona nas mesmas instalações 

 

A Junta de Freguesia de Benfica vai disponibilizar o Centro ECRI – Em Cada Rosto Igualdade, para o acompanhamento dos 500 refugiados que o município de Lisboa vai acolher, a partir de novembro.

 

Esta é uma das conclusões da reunião de hoje da Comissão Social de Freguesia, convocada para analisar as formas de colaboração que a freguesia de Benfica pode desenvolver com outras entidades do poder local e central, no âmbito do processo de acolhimento de refugiados.

 

O Centro ECRI é um serviço da Junta de Freguesia de Benfica, num modelo único na cidade de Lisboa e no país, que presta informação, apoio e encaminhamento de imigrantes. Funciona em estreita articulação com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que tem um posto de atendimento nas mesmas instalações, situadas nas Portas de Benfica. Esta partilha de espaço tem resultado num enorme sucesso, permitindo a resolução de situações de forma mais rápida e eficaz.

 

No âmbito de um protocolo assinado com o SEF, o Centro ECRI presta não só informação útil aos imigrantes, no âmbito da lei de estrangeiros, como encaminha os processos de regularização. Uma das funções do ECRI é tratar e organizar esses processos, que são posteriormente entregues ao SEF, e ajudando os imigrantes numa importante fase de adaptação a um novo país e na sua integração plena.

 

A funcionar desde 2005 sob a responsabilidade e dependência direta da Junta de Freguesia de Benfica, o ECRI recebe, mensalmente, centenas de imigrantes.

 

Desde o início do ano, deu resposta a mais de 4 mil assuntos colocados pelos seus utentes.

 

Apesar de ter sido criado preferencialmente para os residentes em Benfica, o sucesso deste modelo há muito que ultrapassou as fronteiras da freguesia, sendo habitual o recurso ao Centro ECRI por parte de cidadãos de outras freguesias, concelhos e regiões do país.

 

 

“Tratando-se de um projeto único a nível nacional, de articulação direta entre a administração central competente pela execução da política de imigração e asilo e a administração local, a experiência da Junta de Freguesia de Benfica e do ECRI podem ser colocados ao serviço do município de Lisboa, contribuindo assim para uma plena integração dos refugiados que venham a ser acolhidos “, refere Inês Drummond, Presidente da Junta de Freguesia de Benfica.

 

Da reunião da Comissão Social de Freguesia saiu também a decisão de constituir, em Benfica, famílias de acolhimento, que farão a receção das famílias quando elas chegarem a Portugal, providenciam o transporte para o local onde vão residir e ajudam na sua adaptação à cidade, orientando na localização de serviços, etc.

 

Os serviços da freguesia que já existem para apoio à comunidade, estarão também disponíveis para os refugiados: Lavandaria Comunitária, Desperdício Zero (distribuição de refeições prontas, recolhidas na restauração local), Banco Alimentar, Banco de Roupas, Centro Clínico, Banco de Bens Doados (serviço de recolha e distribuição de eletrodomésticos, mobiliário, etc), Apoio Psicológico e Transporte Solidário (serviço de transporte para serviços de saúde), bem como Formação (iniciação à Língua Portuguesa e formação adaptada ao perfil dos formandos) e Gabinete de Inserção Profissional.

 

Lisboa, 25 de setembro de 2015

Os comentários estão fechados.