Visita da 8ª Comissão Mobilidade e Segurança da Assembleia Municipal de Lisboa

Delegação de competências com resultados muito positivos em Benfica

 

O Presidente da Comissão Permanente de Mobilidade e Segurança da Assembleia Municipal de Lisboa, Fernando Nunes da Silva, elogiou hoje o trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia de Benfica no âmbito do Orçamento Participativo e dos Protocolos de Delegação de Competências.

OP_06MAI_15

Durante uma visita à freguesia dos deputados da 8ª Comissão, Nunes da Silva lembrou que “é muito difícil mudar os hábitos de mobilidade das pessoas” mas que, através de processos participativos como o que aconteceu em Benfica, “atenua-se a resistência e a aceitação pública é muito maior”.

 

“Benfica é um caso interessante de descentralização. Desenvolveu-se uma metodologia muito útil e uma dinâmica importante na freguesia, que tornou o processo mais rápido, numa escala mais próxima das pessoas, que permite maior articulação e uma resposta que não é o mero somatório de intervenções”, afirmou o Presidente da Comissão Permanente de Mobilidade e Segurança da Assembleia Municipal de Lisboa.

 

Igualmente importante neste processo, sublinhou a Presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Inês Drummond, foi “a grande mobilização” por parte dos moradores da freguesia, que participaram ativamente com propostas e sugestões para melhorar as acessibilidades, o estacionamento e a segurança rodoviária nos seus bairros.

 

“As pessoas estavam ávidas para participar e deram contributos muito úteis”, congratulou-se Inês Drummond.

 

A visita dos deputados municipais permitiu fazer o balanço das intervenções realizadas pela Junta de Freguesia de Benfica, nos últimos anos, em matéria de Mobilidade, Acessibilidade e Segurança Rodoviária.

OP_06MAI_31 OP_06MAI_34

 

Através das verbas disponibilizadas pela Câmara Municipal de Lisboa no âmbito do Orçamento Participativo e dos Protocolos de Delegação de Competências, no valor de cerca de 1,3 milhões de euros, foram feitas intervenções profundas de requalificação em 12 artérias, que permitiram retirar os automóveis dos passeios, criar mais 641 lugares de estacionamento e 70 passadeiras acessíveis.

 

Foi em Benfica que foi criado o primeiro quarteirão totalmente acessível do país (entre a Rua República Peruana e a Estrada de Benfica), certificado pelo Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade.

Foi também em Benfica que foi criada a primeira Zona 30 de Lisboa (Bairro do Charquinho), uma zona onde a prioridade é dada ao peão e o limite de velocidade para automóveis é de 30 km/hora.

 

Os comentários estão fechados.